Você é consumista compulsiva?







O ato de comprar muitas vezes não está relacionado simplesmente com a aquisição de bens para o consumo. As compras podem assumir uma ligação com a frustração ou a solidão.



Cresce cada vez mais o número de pessoas que procuram ajuda psicológica ou psiquiátrica para controlar o consumo compulsivo.

O costume de comprar aparece por volta dos 18 anos, quando apesar de não comprarem, os jovens gastam horas experimentando roupas.

O consumo compulsivo pode comprometer desde o equilíbrio emocional até o orçamento familiar. Diante da impossibilidade financeira de adquirir um produto, a ansiedade da pessoa pode ser aumentada.

O professor Roberto Pani aponta que o consumo pode funcionar para remediar carências.
Dificuldades de relacionamento podem ser sinalizadas pela compulsão. Giovanni Siri salienta que a identidade é fundamentada através das relações com o próximo. Sendo assim, diante de situações nas quais as pessoas se sentem ansiosas e frágeis, essas podem tentar preencher a falta de relações mais complexas, adquirindo objetos, já que esses não as rejeitam nem decepcionam.

O consumidor só se satisfaz ao adquirir o produto cobiçado, porém este tem um valor simbólico, ou seja, quando é adquirido perde seu valor, uma vez que o que está por trás da compra pode ser a tentativa de suprir carências afetivas.

Por Patrícia Lopes




sexta-feira, 8 de março de 2013

O cabelo ideal para cada idade.

Veja truques de profissionais e descubra qual é o cabelo certo para mulheres de 20, 30, 40, 50 e 60 anos. Assim, é possível valorizar sua beleza




20 ANOS - PODE TUDO

É a idade do frescor, das experimentações. Hora de variar, brincar com cores, cortes e penteados.

Longo, curto, claro, escuro, reto, desfiado... Brinque à vontade com os fios, mas sempre respeitando seu estilo e personalidade. "Para essa idade, adoro os cortes repicados e franja, que pode ser espessa, ralinha, de orelha a orelha, acima das sobrancelhas ou quase cobrindo os olhos", diz o cabeleireiro Marco Antônio de Biaggi, do M.G Hair Design, em São Paulo. O tom deve ficar o mais natural possível para não pesar e envelhecer. "Em vez de uma coloração total, que exige muita manutenção, prefira apenas mechinhas concentradas mais nas pontas", orienta o colorista Yuha Antero.


30 ANOS - TEMPO DE GLAMOUR






Quase tudo ainda cai bem, mas é hora de começar a apostar na sutileza para um visual chique.

Aos 30, é preciso escolher um comprimento que recupere a leveza dos 20 anos. "Mantenha os fios um palmo abaixo dos ombros, sempre repicados e com franja longa. É chique e não envelhece", sentencia Marco Antônio de Biaggi. Para cobrir os brancos, que estão aqui e ali, a dica é tonalizá-los com a cor original do seu cabelo. Garanta um resultado natural fazendo mechas fininhas ao redor do rosto. Aproveite que a idade ainda permite e use os cabelos soltos, ondulados ou escovados.



40 ANOS - BELEZA É LUZ

As restrições aumentam e a ideia deve ser valorizar a aparência e não parecer produzida.

Os fios brancos estão mais intensos agora, e as mechas, sozinhas, já não camuflam. É preciso colorir tudo desde a raiz. O ideal é usar dois tons mais claros que o natural. Você pode abusar do reflexo, que ajuda a rejuvenescer. O comprimento perfeito é na altura do pescoço e repicado, com franja longa. "Mas, se você não abre mão do longo, que não passe da linha do peito e tenha um repicado em volta do rosto", recomenda o expert Marcos Proença.



50 ANOS - COM LEVEZA



O penteado é um dos grandes trunfos para rejuvenescer e a medida certa é a descrição.

A palavra de ordem é evitar os extremos. O comprimento ideal é na altura da saboneteira - nem curtinho nem comprido demais. Dá até para usar franja, mas tem que ser alongada e na lateral. Esqueça o corte reto: para um ar jovem e moderno, os fios precisam ser repicados. Como o cabelo está mais branco, a tendência é extrapolar no reflexo e acabar ficando blond. Já que tanto o loiro quanto o moreno total envelhecem, o melhor é investir nas nuances mais naturais de castanho.



60 ANOS OU MAIS - VALORIZE A SUAVIDADE

Não é preciso ter medo de se produzir - a questão é não querer mostrar uma idade que não se tem.

O corte chanel ou o curtinho com fios repicados são perfeitos. Para o visual não ficar careta, realce as pontas com spray ou pomada. Outra dica é manter a raiz com volume para quebrar o semblante cansado. Modele com musse e secador e, se necessário, coloque bob para estruturar os fios. A coloração deve ser suave para não criar muito contraste com a pele. Fique com as nuances de castanho-claro ou loiro-claro.



Fonte : mdemulher.abril.com.br

Um comentário:

António Jesus Batalha disse...

Ao passar pela net encontrei o seu blog, estive a ler algumas coisas e posso dizer que é um blog fantástico,
com um bom conteúdo, dou-lhe os meus parabéns.
Se desejar faça uma vista ao Peregrino e sevo e deixe o seu comentário.
Sou António Batalha, do Peregrino E Servo.

Seguidores

Arquivo

Pesquisar este blog

Related Posts with Thumbnails